terça-feira, 20 de março de 2012

OS POBRES ANTES DE NASCER, TEM QUE MORRER?


OS POBRES ANTES DE NASCER, TEM QUE MORRER?

“Eu sou a favor do aborto sim, e digo isso em alto e bom som, e se eu estou pecando, eu cometo este pecado consciente, si!”
“A legalidade do aborto evita que crianças inocente Permitir que uma criança indesejada venha ao mundo em uma família desestruturada, sem condições de lhe oferecer uma vida minimamente digna, expondo-a à violência, maus tratos, perda da auto-estimar e tantas outras mazelas, não significa dar um ser à luz, mas sim condená-lo à morte; uma morte social e psicológica, que vai gerar a pior de todas as mortes: A ESPIRITUAL.”
O comentário postado acima  me inspira a fazer minhas refutações sobre a seguinte interrogação, OS POBRES ANTES DE NASCER, TEM QUE MORRER? Poderia até ficar menos irritado como qualquer um que amam a vida, se este comentário viesse de alguém que se declarasse inimigo de Deus, ou Mesmo que não soubesse que, independente de riqueza ou pobreza, a vida é dom de Deus. Mas  não é o caso em se tratando de uma figura altamente reconhecida  no nosso país o bispo Edir Macedo. Daí podemos tirar algumas conclusões que, exegética e hermeneuticamente falando já sabemos que ele não se valoriza tanto, mas, esperávamos pelo menos que a sua capacidade de raciocínio não fosse tão medíocre ao ponto de pensar que ele usou  os cinco minutos de loucura, num momento para falar de um assunto tão sério que precisaria está no melhor de seu tempo racional. Vejam as frases Mal ditas e ao mesmo tempo malditas pelo bispo no seu blog.
-disse o bispo Edir Macedo. A legalidade do aborto evita que crianças inocentes venham ao mundo para sofrer e ter uma vida miserável.
-Que não me levem a mau os que são contra o aborto, mas, experimente, nem que seja por um dia, colocar o seu filho debaixo de um viaduto, andando nu, no mais completo frio, comendo com você restos de comida (farelos) do chão. Ou ainda, experimente deixar sua filha de nove, dez anos, na beira de uma estrada, tendo que vender seu corpo infantil, por três ou cinco reais, para comprar um prato de comida ou, até mesmo, para sustentar seu vício.
REFUTAÇÃO NOSSA: quem pode garantir ao bispo que essas crianças mesmo sendo filho (a) de pais pobres terão a mesma vida quando viessem a nascer? Quantos nasceram em um lar pobres e até debaixo de viadutos, em favelas e não tiveram suas vidas interrompidas por aborto e hoje são grandes empresários, médicos, pilotos de avião, pastores, bispo, talvez o bispo tenha até alguém assim na sua igreja, que lendo esse comentário no seu blog.  Pode muito bem dizer assim, se fosse pelo o raciocínio do meu bispo,  eu  nem teria nascido.
Eu mesmo adotei uma menina que era filha de pais dependente de drogas, e moravam em uma favela, quando minha esposa foi pega ela para trazer ao nosso lar, eles pegaram uma briga, se apossaram  de um facão e queria partir a menina no meio, depois de muitos deixa, deixa os avós daquela criança conseguiram convencer o valente casal a deixar ir aquela menina. O que aconteceu depois tudo nos trames legais da adoção. Hoje essa menina tem 14 anos de idade faz parte da nossa família, então posso dizer, essa menina nasceu em lar completamente desajustado e de vida miserável, mas,  por não ter sido abortada, hoje tem o dom da vida ao lado dos seus pais adotivos, ( a autor). Reconheço também que nem todos tem um final assim é lógico,  mas, é exatamente por não sabermos, e se soubéssemos mesmo assim, todos, pobres e ricos, pretos e brancos, feio ou bonitos, tem direito ao dom da vida.
disse o bispo Edir Macedo-Porque o feto abortado já é salvo. Mas e a mãe? E se ela morre numa clínica de fundo de quintal por causa do aborto? O que será de sua alma diante de Deus?

REFUTAÇÃO NOSSA: esse outro comentário é mais venenoso ainda, veja: O feto abortado já é salvo. Mas e a mãe? Ora, porque já é salvo tem que morrer? Tem que ser destruído antes de nascer? Mas que careca hein? Quanto à mãe!  Não foi o feto que levou a mãe para clinica de aborto clandestina, foi ela mesma que foi para tirar a criança, ela já é adulta, consciente, sabe que é crime contra a sociedade e pecado contra a Deus, o Maximo que podemos fazer para ela ganhar a salvação, é pregar o evangelho para ela e dizer  que somos contra a essa prática, depois é com ela e Deus. Mas, o feto hein? Indefeso, nada pode fazer, e sem saber que  do lado de fora ainda tem um bispo ensinando que se for pobre não deve nascer, Meu Deus!
disse o bispo Edir Macedo. -Portanto, entre um aborto seguro e o risco da perda de vida da mulher numa clínica clandestina, eu prefiro que haja o aborto oficial. É esse o tipo de aborto a que me refiro e que não fere minha fé!
REFUTAÇÃO NOSSA: Aqui dar perceber que, tudo quanto tira a culpa do bispo é a oficialização, a legalidade do aborto, pelo menos para ele. Porque se em um país é legal e é oficial um homem ser casado com quatro ou cinco mulheres, mesmo sendo legal mas não deixa de ser pecado, mas para o bispo a questão do aborto é ser oficializado, para que mulher (mãe assassina) tenha muito conforto e a criança tenha uma morte mais rápida, cruel, muito cruel.
disse o bispo Edir Macedo. -E o argumento de que a criança vem de Deus é uma tremenda heresia. Se assim fosse, então Deus seria um monstro. Pois quando a criança nasce de um estupro, por exemplo, essa criança veio da vontade de Deus? E o que falar do anticristo que nascerá de uma mulher? Seria ele de Deus ou do diabo?
REFUTAÇÃO NOSSA: Outro grande absurdo, a bíblia diz que nossos filhos são herança de Deus. Nenhuma dificuldade de entender isso, o problema é que o bispo está levando em consideração como a criança foi gerada,  como se ela tivesse escolhido a maneira de ser fecundada. O monstro no caso aí é quem estuprou e não Deus! É uma questão de lógica, depois de gerada independente da forma como foi, o que deve ser considerado é aquela vida que passou a ser formada, que não pode ser considerada de monstrinho porque foi gerada por um monstro e Deus não tem nada haver com isso, há não ser de preservar as vidas seja da criança ou da mãe  quando está em risco, sendo ele autor da vida somente Ele pode dar e tirar quando quiser. Quanto ao anticristo, o bispo precisa saber que ele não nascerá anticristo, ele se tornará anticristo, acreditar diferente é mesmo acreditar que Deus criou o diabo, pois ele era um querubim, não? Deus criou os anjos,  entretanto deu-lhe o livre arbítrio a eles também, tendo este querubim se rebelado e sendo expulso do céu, hoje é o diabo. A criança que pode até já ter nascido e se tornará o anticristo não foi gerado anticristo, vai se tornar anticristo por livre e espontânea escolha dele mesmo, e não de Deus, Ele continua sendo Deus e não monstro como acha o bispo.  
interpretação do bispo Edir Macedo. -“Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, e os dias dos seus anos forem muitos, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é melhor do que ele.” Eclesiastes 6:3, embasado neste versículo o Bispo Edir Macedo fala sobre seu apoio ao aborto, e diz ser o aborto uma questão de inteligência, de razão e não de fé.
REFUTAÇÃO NOSSA:  Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, e os dias dos seus anos forem muitos, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é melhor do que ele”. (Almeida)

Mesmo que um home tem cem filhos e filhas, mesmo que viva muitos anos, se não aproveitou do que ganhou, nem deixou dinheiro suficiente para que seus filhos lhe dêem um enterro decente – acho que teria sido melhor para esse homem ter nascido morto. (Bíblia Viva – Ed. Mudo Cristão)

Veja o texto na Bíblia Linguagem de Hoje: "que adianta um homem viver muitos anos e ter cem filhos se não aproveitar as coisas boas da vida e não tiver um enterro decente? Eu digo que uma criança que nasce morta tem mais sorte que ele".

O livro de Eclesiastes é repleto de pensamentos alegóricos em que o homem é levado a pensar em seu fim, O belíssimo texto em questão mostra o quanto à vida pode ser improdutiva mesmo que tantas vezes pareça a muitos que ela é bem-sucedida. Uma vida vazia é uma vida sem Deus, e o Eclesiastes mostra que quem não encontra a verdadeira felicidade - Deus – por mais que tenha trabalhado e lutado, sua existencialidade foi nula, como alguém que não viveu, como uma pessoa que nasceu morta, (aborto não provocado).
Em síntese, a exegese do texto não fala nada da possibilidade de uma mulher optar pelo aborto, muito menos  por um aborto praticado.  Somente na mente fértil do Bispo Macedo é que existe essa interpretação! Cabe a ele explicar, do alto da sua sapiência teológica, como um trecho como este pode ser utilizado para justificar o aborto.
A prática do aborto sempre foi e continuará a ser condenada pela Igreja Cristã na figura de suas denominações sérias e verdadeiras, comprometidas com a Bíblia Sagrada e suas doutrinas, doutrinas que são imutáveis, não vulneráveis ao tempo e aos costumes de regiões!
Corroborando  com minha exegese o Dr. Mattew Henry: Uma família numerosa era questão de entranhável desejo, e muita honra para os hebreus; uma vida longa é o desejo da humanidade em geral. Mesmo possuidor destas bênçãos, o homem pode não ser capaz de desfrutar suas riquezas, família e vida. Nesse contexto, tal homem, em sua passagem pela vida, parece haver nascido para nenhuma finalidade ou utilidade. O que nasceu e viveu alguns momentos tem uma sorte preferível ao que viveu muito, mas sem objetividade producente. (Livro “Comentário Bíblico”, Ed. CPAD).

Um comentário:

Direito de Família disse...

Paz do Senhor!

Gostaria que vc divulgasse o 32º Aniversário do Círculo de Oração da Assembleia de Deus em Upanema-RN:

http://www.upanemaparacristo.com/index.php?option=com_content&view=article&id=918:ad-em-upanema-comemora-32-anos-de-circulo-de-oracao-da-mocidade&catid=35:selumiel-ericlenede&Itemid=93